Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘anne hathaway’

Assim como fiz nos quatro meses anteriores, segue a minha listinha com as gatas do mês. Como esse é o último post do ano, serve como “gatas do ano” também (lembro que a ordem é aleatória, ok?).

.

– Katy Perry

Ela só perdeu pra Adele em número de hits esse ano, arrasou nos shows que fez no Brasil, estreou no cinema (são dela a voz e o “shape” da Smurfete no filme “Smurfs”) e acaba de “voltar ao mercado” (hoje ela e o comediante britânico Russell Brand anunciaram o divórcio).

.

– Deborah Secco

Foi eleita a mulher mais sexy do mundo pela revista VIP, fez jornada dupla e bem-sucedida na TV e no cinema (a novela “Insensato Coração” e o filme “Bruna Surfistinha”) e nunca esteve tão linda quanto agora, de cabelos curtos.

.

– Anne Hathaway

Apresentou o Oscar, fez dois ótimos filmes – um deles bem à vontade (“Amor e Outras Drogas”, que é de 2010 mas estreou aqui em 2011) e outro com (um controverso) sotaque britânico e muitos cortes de cabelo (“Um Dia”), e terminou de rodar a terceira aventura do Batman de Christopher Nolan, onde faz a Mulher-Gato. Ah, e está noiva (ninguém é perfeito).

.

– Giovanna Lancelotti

Estreou em grande estilo no horário nobre da Globo (“Insensato Coração”) e terminou o namoro com o líder do Restart. Não precisa mais nada.

.

– Kat Dennings

Roubou a cena em um dos blockbusters do ano (“Thor”) e é a protagonista da comédia nova de maior sucesso da temporada (“2 Broke Girls”).

.

– Lívia de Bueno

É a protagonista da primeira série dramática do canal Multishow (“Oscar Freire 279”), que aliás acaba de ser renovada pra uma segunda temporada, e deu conta de um papel ao mesmo tempo complexo e sensual.

.

– Marjorie Estiano

Fez um dos ensaios mais sexy do ano (na VIP) e está ótima e carismática como uma das protagonistas da novela “A Vida da Gente” (duvido que alguém esteja torcendo pro mocinho Rodrigo ficar com a irmã dela, vivida pela Fernanda Vasconcellos).

.

– Mila Kunis

A russa  naturalizada americana é linda, engraçada (além da Jackie de “That 70´s Show” ela é dubladora oficial das séries animadas “Uma Família da Pesada” e “Frango-Robô”), talentosa (quase roubou a cena de Natalie Portman em “Cisne Negro”) e fez um dos melhores filmes do ano (“Amizade Colorida”). Atualmente ela roda a “prequel” de “O Mágico de Oz”, sob a direção de Sam Raimi.

.

– Rooney Mara

A aposta do diretor David Fincher parece que deu certo, já que Rooney está impressionante só no trailer de “Millenium – Os Homens Que Não Amavam as Mulheres” e já foi indicada ao Globo de Ouro (o Oscar é questão de detalhes). Nem dá pra dizer que era ela a garota que fez com que Mark Zuckerberg criasse o Facebook (no filme “A Rede Social”). Ah, e sim, ela é irmã de Kate Mara, que esteve na listinha do mês passado.

.

– Zooey Deschanel

Ela é a protagonista da outra comédia nova de maior sucesso da atual temporada (“New Girl”), pela qual foi indicada ao Globo de Ouro, está ótima em outro dos melhores filmes do ano (“My Idiot Brother”), lançou um delicioso CD de canções natalinas pelo dueto She & Him e, como se não bastasse, essa semana pôs na “web” um vídeo fofíssimo cantando “What Are You Doing New Year´s?” ao lado do parceiro de “(500) Dias Com Ela” Joseph Gordon-Levitt.

Anúncios

Read Full Post »

Quem frequenta este site há algum tempo sabe que de tempos em tempos eu publico uma listinha com as mulheres mais sexy da atualidade, no estilo das que são feitas em revistas como a VIP e as gringas Maxim, FHM e outras. Sabe também que eu sempre acabo alterando as listas depois da publicação, porque lembro de alguém que esqueci, tiro alguém da lista, altero as posições etc. Por isso, dessa vez decidi fazer algo diferente. Em vez de uma lista com 50, 80, 100 mulheres, vou escolher de tempos dez mulheres que por algum motivo estão em destaque. Estou tentativamente chamando este post de “Gatas do Mês I” porque a idéia é publicá-lo uma vez por mês, mas sabem como é, não necessariamente eu cumprirei esta meta. Assim, sem mais delongas, segue a primeira (vale lembrar que a ordem é aleatória, ou seja, não há primeira, segunda e assim por diante).

ANNE HATHAWAY – Quem me conhece sabe que pra mim a estrela do novíssimo “Um Dia” (já em cartaz nos EUA, breve nos cinemas brasileiros) é a mulher mais linda do mundo. Então não dava pra ela não encabeçar a primeira lista de “gatas do mês”, ainda mais com a divulgação das primeiras imagens dela como a Mulher-Gato do novo filme do Batman (que infelizmente só chega às telas no ano que vem).

GIOVANNA LANCELOTTI – A estreante conseguiu a proeza de roubar a novela “Insensato Coração” das estrelas Paola Oliveira e Deborah Secco, o que não é pra qualquer uma. Linda e boa atriz, tem tudo pra estourar na carreira.

GUILHERMINA GUINLE – Idem à anterior: Guilhermina rouba “O Astro” das belas Alinne Moraes e Carolina Ferraz. E, pra melhorar, está solteira.

CHRISTINA HENDRICKS – Não tem um motivo específico pra ela estar na lista este mês (já que “Mad Men” só volta ano que vem e ela não está em nenhum filme recente), mas eu acabei de começar a ver a quarta temporada da série e ela é a mulher mais sexy do planeta, então achei apropriado.

NATÁLIA LAGE – Embora um tanto sumida da TV (a personagem fixa dela n´“A Grande Família” não tem aparecido tanto), Natália arrasou na peça “Trilhas Sonoras de Amor Perdidas” e está lindíssima na revista Inked (especializada em tatuagens).

     

THAÍS FERSOZA / JULIANNE TREVISOL – Eu só tinha dois motivos pra assistir a novela da Record “Vidas em Jogo”. Um deles era a dupla de protagonistas, na verdade a única coisa que presta na novela. Thaís, inclusive, estará na capa da VIP de setembro.

MILA KUNIS – A chatinha Jackie de “That 70´s Show” foi roubada de uma indicação ao Oscar no ano passado por “Cisne Negro”, estrela  a comédia romântica “Amizade Colorida” (que chega aos cinemas mês que vem), é linda, engraçada e nasceu na Rússia.

EMMA STONE – Uma das atrizes mais promissoras e talentosas da atualidade, a ruivinha fez filmes bacanas como “Superbad – É Hoje”, “Zumbilândia” e “A Mentira”, está nos cinemas em dose dupla esse mês com “Amor à Toda Prova” e “Histórias Cruzadas” e teve divulgadas as primeiras imagens como a loira Gwen Stacy no novo filme do Homem-Aranha.

JENNIFER ANISTON – A eterna Rachel de “Friends” arrasa de biquíni em “Esposa de Mentirinha” (que eu só vi esse mês) e mais ainda no novo “Quero Matar Meu Chefe” como uma dentista ninfomaníaca.

Read Full Post »

 

A bela apresentadora do Oscar está no Rio de Janeiro promovendo a animação “Rio”, o novo desenho do brasileiro Carlos Saldanha (“A Era do Gelo”). O filme é uma homenagem à cidade e Anne é uma das dubladoras, ao lado de Jesse Eisenberg e Jamie Foxx (que também vieram). Nesta sexta eles estiveram no Complexo do Alemão para uma exibição especial do filme. Confiram algumas imagens. 

(Anne, Jesse Eisenberg, a criançada e o arroz-de-festa Eduardo Paes, prefeito do Rio)

Read Full Post »

Caiu na rede hoje um divertido clipe com os apresentadores James Franco e Anne Hathaway que não entrou na cerimônia, provavelmente sendo substituído pela hilária nontagem que colocou os dois dentro de alguns dos filmes indicados esse ano. É uma reinvenção da canção “You´re the One That I Want”, do musical “Grease”. Check it out:

Read Full Post »

Foi uma noite divertida e bem comandada por Anne Hathaway e James Franco, que foram suficientemente glamurosos (Anne trocou de vestido pelo menos umas seis vezes) e engraçadinhos, mas sem exageros (exceto pela entrada de Franco vestido de Marylin Monroe). Franco, aliás, repetiu Ricky Gervais (o polêmico apresentador dos Golden Globes) em uma piadinha um pouco mais sutil sobre Charlie Sheen, enquanto Jude Law fez o mesmo ao brincar com o passado negro de seu parceiro em “Sherlock Holmes”, Robert Downey Jr. E o momento mais hilário foi a montagem que transformou diálogos de “Harry Potter”, “Eclipse”, “Toy Story 3” e “A Rede Social” em números musicais (seguindo a onda que aparece toda hora na internet).

(Anne Hathaway, de smoking, no número musical em que mostrou seus ótimos dotes vocais e atacou Hugh Jackman por ter dado o cano nela)

 

Quanto aos ganhadores em si, quase não houve surpresas. “O Discurso do Rei” levou os prêmios principais da noite, inclusive o de diretor para o inglês Tom Hooper (um tanto injusto, na minha opinião, embora o filme seja mesmo ótimo), enquantos os dois reais melhores filmes do ano tiveram que se contentar com prêmios técnicos – “A Rede Social” levou três, incluindo melhor roteiro original para Aaron Sorkin, e “A Origem” ficou com quatro. Já entre os atores, todos os favoritos levaram os seus prêmios, merecidamente: Colin Firth (foto), Natalie Portman, Christian Bale e Melissa Leo.

 

(James Franco e Anne Hathaway encerram a festa, rodeados pelos ganhadores e pelas crianças que cantaram “Somewhere Over the Rainbow”)

 

Confiram abaixo a lista completa com todos os ganhadores:

 

Melhor filme: O Discurso do Rei

Melhor diretor: Tom Hooper – O Discurso do Rei

Melhor ator: Colin Firth – O Discurso do Rei

Melhor atriz: Natalie Portman – Cisne Negro

Melhor ator coadjuvante: Christian Bale – O Vencedor

Melhor atriz coadjuvante: Melissa Leo – O Vencedor

Melhor roteiro original: O Discurso do Rei

Melhor roteiro adaptado: A Rede Social

Melhor longa animado: Toy Story 3

Melhor filme em lingua estrangeira: Em um Mundo Melhor (Dinamarca)

Melhor direção de arte: Alice no País das Maravilhas

Melhor fotografia: A Origem

Melhores efeitos visuais: A Origem

Melhor figurino: Alice no País das Maravilhas

Melhor montagem: A Rede Social

Melhor maquiagem: O Lobisomem

Melhor trilha sonora: Trent Reznor e Atticus Ross – A Rede Social

Melhor canção original: We Belong Together – Toy Story 3

Melhor edição de som: A Origem

Melhor mixagem de som: A Origem

Melhor documentário: Trabalho Interno

Melhor documentário em curta-metragem: Strangers no More

Melhor curta-metragem: God of Love

Melhor animação em curta-metragem: The Lost Thing

Read Full Post »

Hoje, domingo (27), acontece a entrega dos prêmios da Academia de Cinema de Hollywood, o Oscar 2011. A cerimônia está prevista para começar às 22h, com transmissão pela TNT e pela Globo (a própria TNT e o Canal E! entram no ar antes disso, direto do tapete vermelho, e a Globo, como sempre, deve começar a transmissão mais tarde, graças ao Big Brother). Como os prêmios em si costumam ser polêmicos, afetados por motivos diversos (políticos, temáticos, correções de injustiças etc.) e nunca agradam todo mundo, gosto mais de comentar as indicações, que já são reconhecimento suficiente. E em um ano como 2010, que foi recheado de grandes filmes (ao contrário de 2009, por exemplo, um dos mais fracos dos últimos tempos), vale ainda mais discutir os destaques.

 

As omissões

Todo ano tem aquele ator e aquela atriz que foram esquecidos, aquele filme que foi ignorado, o diretor que sempre perde a indicação na última hora. E todo mundo que gosta de cinema e acompanha a temporada de premiações tem uma opinião sobre isso. Pra mim, a Academia cometeu dois crimes grotescos este ano, ao não indicar Christopher Nolan como melhor diretor e Mark Wahlberg como melhor ator. Nolan já deveria ter sido indicado em 2008 por “O Cavaleiro das Trevas” e mais ainda agora, já que “A Origem” é uma obra-prima que deve boa parte de seus méritos à direção dele; já Wahlberg,  que faz o seu boxeador em “O Vencedor” de forma contida e brilhante, contrastando com seus colegas explosivos (todos indicados) Christian Bale, Amy Adams e Melissa Leo, é mais uma prova de que personagens calmos não chamam a atenção dos grandes prêmios (vide também o ótimo Stephen Dorff em “Um Lugar Qualquer”).

Um filme que deveria ter ficado entre os dez indicados é “O Escritor Fantasma”, o excepcional suspense de Roman Polanski que ganhou o Festival de Berlim mas foi completamente esquecido em todas as premiações americanas – mas talvez isso tenha sido uma represália ao polêmico diretor, que passou boa parte do ano preso na Suíça. Outro que também poderia ter sido indicado mas ficou no zero foi “Ilha do Medo”, a assustadora mistura de suspense e terror psicológico que Martin Scorsese fez com Leonardo DiCaprio – mas o filme é daqueles “ame ou odeie”.

Entre os atores, o próprio DiCaprio poderia ter sido indicado duas vezes, tanto pela “Ilha” como por “A Origem”, mas talvez os votos tenham ficado divididos entre os filmes, prejudicando o astro. Não há explicação, porém, pra ninguém ter se lembrado de Ryan Reynolds, que passa 90 minutos dentro de um caixão em “Enterrado Vivo” – principalmente com toda a badalação em torno de James Franco, que fez quase a mesma coisa, só que com mais estardalhaço, em “127 Horas”.  Do lado feminino, difícil entender porque só Annette Bening foi indicada por “Minhas Mães e Meu Pai” e Julianne Moore não, sendo que ambas estão igualmente ótimas como um casal de lésbicas no filme. Já nas categorias de coadjuvantes, os esquecidos são inúmeros: Joseph Gordon Levitt e Tom Hardy em “A Origem”, Ben Kingsley em “Ilha do Medo”, Pierce Brosnan e Olivia Williams em “Escritor Fantasma”, Elizabeth Banks em “72 Horas” – os homens pelo menos são todos melhores que Jeremy Renner, bom ator que não faz nada de mais em “Atração Perigosa”. Enfim, não dá pra indicar e agradar todo mundo, certo?

 

Os filmes

Tudo indica que o prêmio principal esteja entre “O Discurso do Rei” e “A Rede Social”, que levaram todos os prêmios principais do ano, com uma leve vantagem pro primeiro, que ganhou prêmios que são normalmente mais representativos quando se fala em Oscar e além disso é o campeão em indicações – doze no total. “O Discurso” é um ótimo filme, mas é inferior a pelo menos metade dos indicados. Se ganhar, é porque a Academia achou “A Rede Social” muito moderno (tanto no tema quanto no estilo), “Cisne Negro” muito ousado (e maluco) e “A Origem” muito complexo para serem considerados o “melhor filme do ano”. O mais justo seria ganhar “A Origem”, o que é pouco provável, já que desde “Conduzindo Miss Daisy” em 89 um filme que não teve o seu diretor indicado leva o prêmio principal. Não se deve esquecer, porém, de “Toy Story 3” (que deve se contentar com o prêmio de animaçã0) e “Bravura Indômita”, o western dos irmãos Coen que é o segundo filme com maior número de indicações (10).

 

Os diretores

2010 foi o ano de quatro diretores que começaram mais ou menos na mesma época e que fizeram seus grandes filmes em 99: Christopher Nolan (“Amnésia”), Darren Aronofski (“Requiem para um Sonho”), David O. Russell (“Três Reis”) e David Fincher (“Clube da Luta”). Depois disso só cresceram e chegaram ao auge este ano, com filmes brilhantes (respectivamente “A Origem”, “Cisne Negro”, “O Vencedor” e “A Rede Social”, lembrando que Aronofski também é produtor do filme de Russell) e, à exceção de Nolan (vide nota acima), estão entre os cinco finalistas ao prêmio de melhor diretor. Completam a lista o inglês Tom Hooper (que começou na TV inglesa e dirigiu poucos e competentes filmes antes d´“O Discurso do Rei”) e os velhos conhecidos irmãos Coen, que já ganharam três anos atrás por “Onde os Fracos Não Tem Vez”. Se a justiça for feita, Fincher finalmente levará o dele, já que é o mais regular do quarteto e já foi indicado em 2009 por “Benjamin Button”. Mas não será surpresa se Hooper vencer.

 

Os atores

O ano foi marcado por quatro atuações arrasadoras e impressionantes, daquelas que deixam o público de queixo caído: Colin Firth em “O Discurso do Rei”, Natalie Portman em “Cisne Negro”, Christian Bale e Melissa Leo em “O Vencedor”. Dificilmente algum dos quatro sairá da cerimônia sem o prêmio a que concorre, por mais que outros candidatos também estejam muito bem. Porém, se algum deles perder, esse alguém será Melissa, que ainda é favorita mas pode ter perdido votos depois de fazer uma campanha um tanto bizarra entre os colegas no início do ano (ela mandou fotos a todos pedindo para se lembrarem dela, e não pegou muito bem).

 

O Brasil

Embora o representante brasileiro ao prêmio de filme estrangeiro (“Lula, o Filho do Brasil”) tenha sido previsível e justamente ignorado, o país está entre os indicados a melhor documentário, com “Lixo Extraordinário”, que mostra o trabalho do artista plástico Vik Muniz em um aterro sanitário no Rio de Janeiro. O filme foi dirigido pela inglesa Lucy Walker (que é quem subirá ao palco em caso de vitória) e pelo brasileiro João Jardim.

 

Os apresentadores

A Academia fez uma escolha inusitada este ano ao não chamar para apresentar a cerimônia um comediante. Apostou suas fichas em dois atores jovens e cada vez mais ascendentes: James Franco (um dos concorrentes ao prêmio de melhor ator, inclusive, por “127 Horas”) e a linda Anne Hathaway, que já havia dado uma canjinha ao auxiliar Hugh Jackman três anos atrás em um número musical. A dupla vem fazendo vários comerciais de divulgação da cerimônina e parecem estar em ótima sintonia – o que promete uma cerimônina no mínimo divertida.

 

Segue abaixo a lista completa com todos os indicados:

 

Melhor filme

  • Cisne Negro
  • O Vencedor
  • A Origem
  • O Discurso do Rei
  • A Rede Social
  • Minhas Mães e meu Pai
  • Toy Story 3
  • 127 Horas
  • Bravura Indômita
  • Inverno da Alma

Melhor diretor

  • Darren Aronovsky – Cisne Negro
  • David Fincher – A Rede Social
  • Tom Hooper – O Discurso do Rei
  • David O. Russell – O Vencedor
  • Joel e Ethan Coen – Bravura Indômita

Melhor ator

  • Jesse Eisenberg – A Rede Social
  • Colin Firth – O Discurso do Rei
  • James Franco – 127 Horas
  • Jeff Bridges – Bravura Indômita
  • Javier Bardem – Biutiful

Melhor atriz

  • Nicole Kidman – Reencontrando a Felicidade
  • Jennifer Lawrence – Inverno da Alma
  • Natalie Portman – Cisne Negro
  • Michelle Williams – Blue Valentine
  • Annette Bening – Minhas Mães e meu Pai

Melhor ator coadjuvante

  • Christian Bale – O Vencedor
  • Jeremy Renner – Atração Perigosa
  • Geoffrey Rush – O Discurso do Rei
  • John Hawkes – Inverno da Alma
  • Mark Ruffalo – Minhas Mães e meu Pai

Melhor atriz coadjuvante

  • Amy Adams – O Vencedor
  • Helena Bonham Carter – O Discurso do Rei
  • Jacki Weaver – Animal Kingdom
  • Melissa Leo – O Vencedor
  • Hailee Steinfeld – Bravura Indômita

Melhor roteiro original

  • Minhas Mães e meu Pai
  • A Origem
  • O Discurso do Rei
  • O Vencedor
  • Another Year

Melhor roteiro adaptado

  • A Rede Social
  • 127 Horas
  • Toy Story 3
  • Bravura Indômita
  • Inverno da Alma

Melhor longa animado

  • Como Treinar o Seu Dragão
  • O Mágico
  • Toy Story 3

Melhor filme em lingua estrangeira

  • Biutiful
  • Fora-da-Lei
  • Dente Canino
  • Incendies
  • Em um Mundo Melhor

Melhor direção de arte

  • Alice no País das Maravilhas
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
  • A Origem
  • O Discurso do Rei
  • Bravura Indômita

Melhor fotografia

  • Cisne Negro
  • A Origem
  • O Discurso do Rei
  • A Rede Social
  • Bravura Indômita

Melhores efeitos visuais

  • Alice no País das Maravilhas
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
  • Além da Vida
  • A Origem
  • Homem de Ferro 2

Melhor figurino

  • Alice no País das Maravilhas
  • I am Love
  • O Discurso do Rei
  • The Tempest
  • Bravura Indômita

Melhor montagem

  • Cisne Negro
  • O Vencedor
  • O Discurso do Rei
  • A Rede Social
  • 127 Horas

Melhor maquiagem

  • O Lobisomem
  • Caminho da Liberdade
  • Minha Versão para o Amor

Melhor documentário

  • Lixo Extraordinário
  • Exit Through the Gift Shop
  • Trabalho Interno
  • Gasland
  • Restrepo

Melhor documentário em curta-metragem

  • Killing in the Name
  • Poster Girl
  • Strangers no More
  • Sun Come Up
  • The Warriors of Qiugang

Melhor curta-metragem

  • The Confession
  • The Crush
  • God of Love
  • Na Wewe
  • Wish 143

Melhor animação em curta-metragem

  • Day & Night
  • The Gruffalo
  • Let’s Pollute
  • The Lost Thing
  • Madagascar, Carnet de Voyage

Melhor trilha sonora

  • Alexandre Desplat – O Discurso do Rei
  • John Powell – Como Treinar o seu Dragão
  • A.R. Rahman – 127 Horas
  • Trent Reznor e Atticus Ross – A Rede Social
  • Hans Zimmer – A Origem

Melhor canção original

  • “Coming Home” – Country Strong
  • “I See the Light” – Enrolados
  • “If I Rise” – 127 Horas
  • We Belong Together – Toy Story 3

Melhor edição de som

  • A Origem
  • Toy Story 3
  • Tron – O Legado
  • Bravura Indômita
  • Incontrolável

Melhor mixagem de som

  • A Origem
  • Bravura Indômita
  • O Discurso do Rei
  • A Rede Social
  • Salt

Read Full Post »

O Oscar é domingo agora e os apresentadores Anne Hathaway e James Fraco continuam treinando alucinadamente pra não fazer feio. Confiram os vídeos aqui.

Fonte: Omelete

Read Full Post »

Older Posts »