Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘dvd’ Category

Sexta-Feira 13 nas telas

Como hoje coincidiu de ser também o Dia do Rock, a galera esqueceu que também é sexta-feira 13. Mas deixa o sol ir embora e o frio dominar que não vai ter como escapar. Segue a minha tradicional listinha (atualizada) de filmes de terror/suspense pra animar o dia (ou melhor, a noite):

.

1. “Psicose“, de Alfred Hitchcock

Não dá pra começar uma lista de filmes de terror sem o mestre do suspense, certo? Então nada melhor que o talvez maior clássico do cinema de terror/suspense de todos os tempos, que continua assustador. Saiba mais sobre ele aqui.

 

 

2. “Alien, o 8º Passageiro“, de Ridley Scott 

Embora os quatro episódios da cinessérie sejam ótimos, o único que realmente dá pra chamar de “filme de terror” é o primeiro, claustrofóbico, influente, recheado de cenas aterrorizantes envolvendo monstros que saem da barriga de pessoas, vermes grudando em cabeças e a precursora das heroínas de ação (a Ripley de Sigourney Weaver). E se você acabou de ver “Prometheus” no cinema, deve estar com vontade de rever o original pra lembrar o que aconteceu depois de… (calma, não vou entregar o que acontece no filme novo).

.

3. “Jogos Mortais I a VII“, de James Wan e outros

Pode-se falar o que for dessa série que até o presente momento termina no sétimo filme (o único em 3D): que é apelativa, que foi responsável por criar um dos mais horrorosos sub-gêneros da história (o torture porn, como se chamam os filmes que mostram pessoas sendo torturadas com gosto), que já deu o que tinha que dar.  Mas duas coisas não podem ser negadas: 1) o primeiro filme é uma pequena obra-prima (e NÃO, não pode ter inaugurado o torture porn simplesmente porque NÃO MOSTRA UMA CENA NOJENTA SEQUER, APENAS SUGERE – assim como fez alguns anos antes o badalado e ainda melhor “Seven – Os Sete Pecados Capitais”); e 2) a série consegue o raro feito de fazer sentido, ou seja, cada filme complementa o outro, acrescentando detalhes, explicando, atando pontas – e não, como se poderia esperar de uma série como essa, oferecer simplesmente mais do mesmo. Tá, do segundo filme em diante as cenas nojentas começaram a aparecer – mais isso é só um detalhe (o segundo e o sexto episódios são quase tão bons quanto o primeiro).

.

4. “O Enigma do Outro Mundo“, de John Carpenter

Um dos filmes mais assustadores e angustiantes de todos os tempos, disparado o melhor filme do diretor Carpenter, que fez vários mini-clássicos nos anos 80 (“Christine, o Carro Assassino”, “Os Aventureiros do Bairro Proibido”, “Fuga de Nova York”) e depois sumiu (na verdade ele voltou a fazer uns filminhos recentemente, mas nada no nível dos oitentistas). Na Antártida, Kurt Russell é o líder de um grupo de cientistas e militares que está isolado em uma estação de pesquisa por causa de uma tempestade de neve. Quando um helicóptero cai ali perto e os cachorros começam a agir de modo estranho, eles percebem que tem mais alguma coisa com eles. E essa coisa (o nome original do filme é simplesmente “The Thing”) começa a atacar. Só digo que quando eu vi esse filme quando era adolescente eu fiquei uns dois dias sem dormir e depois comecei uma estranha mania de derreter bonequinhos de plástico. A PROPÓSITO: ano passado foi lançada uma “prequel” bacaninha, também chamada “The Thing”, mas que até agora não foi lançada por aqui. Vale a pena baixar ou importar, nem que seja só pra ver a delicinha da Mary Elizabeth Winstead (de “Scott Pilgrim Contra o Mundo”), que faz a protagonista (mas o filme é legal também).

.

5. “Drácula de Bram Stoker“, de Francis Ford Coppola

Considerado por alguns como cafona, uma obra menor do mestre Coppola, pra mim é um dos melhores filmes de todos os tempos (no mínimo no meu Top 10). O elenco é incrível (Gary Oldman está perfeito, Winona Ryder no auge, Anthony Hopkins brilhante como Van Helsing, nem o Keanu Reeves compromete!), o visual é fantástico (o filme ganhou três Oscars técnicos), os efeitos são bacanas – e de quebra ainda tem as monstrengas mais sexy do cinema (as noivas do Drácula, uma das quais é ninguém menos que Monica Bellucci antes de ficar conhecida).

.

6. O Labirinto do Fauno“, de Guillermo del Toro

A bela e assustadora fábula dirigida pelo mexicano Del Toro que consegue alternar o terror fictício estampado no mundo fantástico descoberto pela garotinha Ivana Baquero e povoado pelas criaturas inesquecíveis (no bom e no mau sentido) vividas pelo elástico e impressionante Doug Jones, e o terror real representado pelo cruel general franquista interpretado por Sergi López. Um dos melhores filmes dó século XXI. MAIS UM ESPANHOL/MEXICANO: outro filmaço de suspense também produzido por Del Toro é “O Orfanato”, que tem a atriz Belén Rueda como uma mulher que vai morar em uma mansão que funcionou como um abrigo para crianças e enfrenta terrores do passado. Atenção pra participação especial de Edgar Vivar, o Seu Barriga do “Chaves”, em um raro papel sério.

.

7. “Contágio“, de Steven Soderbergh

Falando em terror real, que tal esse, que mostra uma epidemia de consequências catastróficas pro mundo todo? Com um elenco de astros (Matt Damon, Jude Law, Kate Winslet, Gwyneth Paltrow, Marion Cottilard e outros) que podem morrer a qualquer momento, consegue ser mais assustador que muito filme de horror de mentirinha.

.

8. “Sobrenatural“, de James Wan

Pra encerrar, que tal um típico filme de casa mal-assombrada? Dos mesmos criadores da série “Jogos Mortais” (mas não é torture porn, vale lembrar), esse filme tem o adicional de mudar de rumo completamente da metade em diante. Patrick Wilson e Rose Byrne são o casal que se muda pra uma casa onde estranhas coisas começam a acontecer. Bem acima da média do gênero.

Anúncios

Read Full Post »

Confesso que estava com certo receio de assistir o novo “American Pie” – pensei que pudesse ser apenas uma besteirada caça-níqueis feita com o único objetivo de reativar as carreiras de atores que não conseguiram ter sucesso fora da série. Mas fico feliz por dizer que não apenas o filme passa longe disso, como ainda é muito bom e talvez o melhor dos quatro episódios oficiais. Além de conseguir a proeza de juntar todos os integrantes do elenco original, o que não aconteceu na parte três (ainda que alguns atores como Shannon Elizabeth e o “Sherminator” Chris Owen só apareçam no finalzinho do filme), o roteiro consegue ser redondinho, bem sacado e não tem aquela cara de “situação requentada” tão comum em sequências deste tipo (mas claro que não deixando de ter “situações requentadas” no bom sentido).

.

A série criada em 99 pelos irmãos Paul e Chris Weitz (que logo depois fariam a obra-prima “Um Grande Garoto”) foge do padrão das típicas comédias adolescentes por não ser apenas um amontoado de baixarias, mas sim ter personagens muito bem construídos e, principalmente, coração. O primeiro filme apresentava os personagens e mostrava um grupo de amigos adolescentes tentando perder a virgindade nos anos 90, numa espécie de releitura de “clássicos” dos anos 80 como “Porky´s” e “Picardias Estudantis” com as baixarias do primeiro e a irreverência do segundo. A parte dois era “mais do mesmo”, um ano depois (mas sem perder a mão). E a parte três (“O Casamento”), se perdeu um pouco da identidade por não ter todos os personagens originais e por ser um tantinho melancólica, ganhou pontos ao se tornar o “show do Stifler” – o personagem de Seann William Scott que foi criado pra ser um escroto nojento mas que acabou se tornando a alma de todos os filmes. Agora, na parte 4, os diretores e roteiristas Jon Hurwitz e Hayden Schlossberg conseguiram a proeza de escrever uma história que mantém a personalidade (tanto da série em si como dos personagens) e criar situações verossímeis para todos eles dez anos depois, fugindo daquele manjado “vamos reunir todo mundo e pronto, e no fim todo mundo fica junto”. O grande destaque é mais uma vez Stifler, o cara que insiste em querer que as coisas continuem como eram no colegial mas acaba aprendendo que tudo passa. Bem legais também as referências a coisas e situações atuais que são bem diferentes de como eram 13 anos (quando os amigos se formaram no colegial). E atenção pra aparição de uma quase irreconhecível Rebecca De Mornay no finalzinho como a mãe do Finch (**SPOILER ALERT** e quem conhece a série já pode imaginar o que essa presença significa **SPOILER ALERT**).

.

Eu sou um pouco suspeito pra falar, já que sou grande fã da série toda, mas acho que até quem não curtiu muito os filmes anteriores pode se divertir com esse aqui (aproveito pra dar notas também pros outros três, já que revi todos antes de ir ao cinema).

.

“American Pie – O Reencontro”

(American Reunion, EUA, 2012) – Dir.: Jon Hurwitz e Hayden Schlossberg. Com Jason Biggs, Seann William Scott, Alyson Hannigan, Chris Klein, Thomas Ian Nicholas, Eddie Kaye Thomas, Eugene Levy, Mena Suvari, Tara Reid, Jennifer Coolidge, Audrina Partridge, Dania Ramirez, Jay Harrington, Ali Kobrin, John Cho, Shannon Elizabeth, Natasha Lyonne, Chris Owen.

NOTA: 8,5

.

“American Pie “ (American Pie, EUA, 99)

NOTA: 8

.

“American Pie 2” (American Pie 2, EUA, 01)

NOTA: 7,5

.

“American Pie – O Casamento” (American Wedding, EUA, 03)

NOTA: 7

.

Read Full Post »

“Contraband”, com o Mark Wahlberg e a Kate Beckinsale (sem previsão de estreia no Brasil), fez sucesso nas bilheterias americanas no começo do ano e acabou de sair em Blu-Ray e DVD por lá. Remake de um filme islandês (curiosamente, o diretor da versão “made in USA” era o astro do original), é um thriller de ação bem acima da média, meio heist movie (i.e., aqueles filmes que mostram um grande golpe pra roubar alguma coisa, tipo “Ocean´s Eleven” e afins). Wahlberg é um ex-contrabandista que largou a vida de crimes depois de casar e ter dois filhos, mas é arrastado de volta quando o cunhado se envolve com um traficante (Giovanni Ribisi) – e o golpe pra salvar a pele do moleque envolve dinheiro falso, um navio cargueiro, a cidade do Panamá e até uma pintura de Jackson Pollock. O bom elenco ainda tem Ben Foster como o melhor amigo do protagonista, outro ex-criminoso reformado (**SPOILER ALERT**: mas quem conhece o ator sabe que ele raramente é bonzinho, então dá pra imaginar que tem algo estranho ali **SPOILER ALERT**). O filme já valeria só pela Kate Beckinsale, sempre linda (e em versão indefesa dessa vez, descansando um pouco de dar porrada nos outros como vem fazendo bastante nos últimos filmes), mas prende a atenção e vale os 100 minutos de duração.

.

“Contraband” (EUA, 2012) – Dir.: Baltasar Kormákur. Com Mark Wahlberg, Kate Beckinsale, Ben Foster, Giovanni Ribisi, J.K.Simmons, Diego Luna.

NOTA: 7

Read Full Post »

E não é que o remake do “clássico” dos anos 80 “Footloose” é BEM legal? Ouso dizer que é até melhor que o original – a história é mais redondinha, o visual é mais bonito. Kenny Wormald (que se deu bem ao ganhar o papel do protagonista depois de Zac Efron e Chace Crawford desistirem) não tem a mesma irreverência nem o ar “cool” do Kevin Bacon, mas tem carisma e segura bem o papel; já Julianne Hough (de “Burlesque”) é uma delícia e dá de mil a zero na insossa Lori Singer do original (além de ser boa atriz); e o reverendo Shaw é interpretado pelo sempre competente Dennis Quaid, que dá um ar mais humano ao papel feito em 84 pelo mais “odiável” John Lithgow – só a mãe da mocinha é quem perde na comparação (a excelente Dianne Wiest fazia o papel no original, agora feito de forma pouco inspirada pela Andie MacDowell). E pra quem não gosta de musical, não se preocupe: o filme continua sendo um drama sem cantoria – nenhuma das canções criadas pra versão da Broadway foi incorporada ao remake, e as originais (incluindo as famosas “Holding Out For a Hero” e “Let´s Hear It For the Boy”, além, é claro, da canção-título) só tocam como fundo ou em coreografias de grupo. Só há um porém: até agora não há previsão de lançamento do filme no Brasil (seja nos cinemas, seja direto em DVD).

Segue o trailer:

Read Full Post »

Quer assistir os filmes que ganharam o Globo de Ouro? E os que foram indicados? Alguns deles já estão em cartaz, outros estreiam nas próximas semanas e meia dúzia já foi lançada em DVD/Blu-Ray. Segue um calendário com todos eles:

(George Clooney em “Os Descendentes”, Michelle Williams em “Sete Dias com Marilyn” e Brad Pitt em “O Homem que Mudou o Jogo”)

Em cartaz:

– Tudo pelo Poder

– Cavalo de Guerra

– Gato de Botas

– A Pele Que Habito

– O Garoto da Bicicleta

20 de janeiro:

– As Aventuras de Tintim (melhor animação)

– A Separação (melhor filme em língua estrangeira)

27 de janeiro:

– Os Descendentes (melhor filme e ator na categoria drama)

– Millenium – Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

– J. Edgar

– Precisamos Falar Sobre o Kevin

3 de fevereiro:

– Histórias Cruzadas (melhor atriz coadjuvante)

– O Homem Que Mudou o Jogo

10 de fevereiro:

– O Artista (melhor filme e ator na categoria comédia/musical, melhor trilha)

– Sete Dias com Marilyn (melhor atriz na categoria comédia/musical)

– A Dama de Ferro (melhor atriz na categoria drama)

17 de fevereiro:

– A Invenção de Hugo Cabret (melhor diretor)

24 de fevereiro:

– Drive

2 de março:

– Albert Nobbs

– Shame

23 de março:

– Um Método Perigoso

30 de março:

– W.E. (melhor canção)

29 de junho:

– Carnage

Ainda sem previsão:

– Jovem Adulta

– In the Land of Blood and Honey

– The Flowers of War

Em DVD/Blu-Ray:

– Meia-Noite em Paris (melhor roteiro)

– Toda Forma de Amor (melhor ator coadjuvante)

– Amor à Toda Prova

– Rango

– Carros 2

– Gnomeo & Julieta

– 50% (fim de janeiro)

– Missão Madrinha de Casamento (fim de janeiro)

– Operação Presente (1º semestre)

– Redenção (1º semestre)

Fonte: Guia Folha

Read Full Post »

Depois de ver Kate Beckinsale em tantos filmes hollywoodianos, como a série “Anjos da Noite (Underworld)”, “Click”, “Van Helsing” e “O Aviador” (em que ela fazia uma das mulheres mais bonitas do cinema antigo, Ava Gardner), a gente até esquece que ela é inglesa. Mas basta vê-la dando uma entrevista (como essa abaixo, no programa do David Letterman semana passada) pra lembrar que ela, uma das mulheres mais bonitas do cinema atual, tem um delicioso sotaque britânico (como mostrava em seus primeiros filmes, como “Muito Barulho por Nada”, onde era a jovem Hero).

Esse ano teremos pelo menos três oportunidades de ver Kate nas telas: na quarta parte da série “Anjos da Noite” (Underworld: Awakenings), no filme de ação “Contrabando” (ao lado de Mark Wahlberg) e no remake de “O Vingador do Futuro (Total Recall)”.

Read Full Post »

Também foram anunciados os indicados ao Critics´ Choice Awards, os prêmios dados pelos críticos americanos aos melhores do cinema em 2011 (os críticos estrangeiros anunciam amanhã os escolhidos pro Globo de Ouro). Como aqui as categorias são bem mais abrangentes, dá pra ter uma idéia melhor do que vem por aí no Oscar e no próprio Golden Globe. Os campeões em indicações foram “Hugo”, de Martin Scorsese (com 13), e “Drive”, de Nicolas Winding Refn (com 8). Uma curiosidade é finalmente um reconhecimento à atuação em “motion capture” (ou captura de movimento), representada pelo ator inglês Andy Serkis, que depois de dar vida ao Gollum de “O Senhor dos Anéis” e ao “King Kong”, finalmente foi indicado a um prêmio de ator como o macaco Cesar em “Planeta dos Macacos: A Origem”. Será que ele será lembrado no Oscar e no Globo de Ouro?

.

Segue a lista completa. Lembro que estão em português somente os filmes que já estrearam no Brasil; depois do anúncio dos indicados ao Golden Globe, eu falarei um pouco mais sobre os principais concorrentes.

.

(em sentido horário: “The Artist”, “Hugo”, “The Help” e “Drive”)

.

MELHOR FILME 

The Artist

The Descendants  

Drive

Extremely Loud & Incredibly Close

The Help

Hugo  

Meia-Noite em Paris 

Moneyball

A Árvore da Vida 

War Horse

.

MELHOR ATOR 

George Clooney, The Descendants

Leonardo DiCaprio, J. Edgar

Jean Dujardin, The  Artist

Michael Fassbender, Shame

Ryan Gosling,  Drive

Brad Pitt, Moneyball

.

MELHOR ATRIZ 

Viola Davis, The Help

Elizabeth Olsen, Martha Marcy May Marlene

Meryl Streep, The  Iron Lady

Tilda Swinton, We Need to Talk About Kevin

Charlize Theron, Young Adult

Michelle Williams, My Week With  Marilyn

.

MELHOR ATOR COADJUVANTE 

Kenneth  Branagh, My Week With Marilyn

Albert  Brooks, Drive

Nick Nolte, Warrior

Patton Oswalt. Young Adult

Christopher  Plummer, Toda Forma de Amor

Andrew Serkis, Planeta dos Macacos: A Origem

.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE 

Berenice Bejo, The  Artist

Jessica Chastain, The Help

Melissa McCarthy,  Missão: Madrinha de Casamento

Carey Mulligan, Shame

Octavia Spencer, The  Help

Shailene Woodley, The Descendants

.

MELHOR ATOR/ATRIZ JOVEM 

Asa Butterfield, Hugo

Elle Fanning, Super 8

Thomas Horn, Extremely  Loud & Incredibly Close

Ezra Miller, We Need to Talk About  Kevin

Saoirse Ronan, Hanna

Shailene Woodley, The  Descendants

.

MELHOR ELENCO

The Artist

Missão: Madrinha de Casamento 

The Descendants

The Help

The Ides of March

.

MELHOR DIRETOR

Stephen Daldry, Extremely Loud &  Incredibly Close

Michel Hazanavicius, The Artist

Alexander  Payne, The Descendants

Nicolas Winding Refn, Drive

Martin Scorsese, Hugo

Steven Spielberg, War Horse

.

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL 

The Artist, Michel  Hazanavicius

50/50, Will Reiser

Meia-Noite em Paris,  Woody Allen

Vencer ou Vencer, Screenplay by Tom McCarthy, Story by Tom  McCarthy & Joe Tiboni

Young Adult, Diablo Cody

.

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO 

The Descendants,  Alexander Payne and Nat Faxon & Jim Rash

Extremely Loud &  Incredibly Close, Eric Roth

The Help, Tate Taylor

Hugo,  John Logan

Moneyball, Steven Zaillian and Aaron Sorkin, Story by Stan  Chervin

.

MELHOR FOTOGRAFIA 

The Artist, Guillaume  Schiffman

Drive, Newton Thomas Sigel

Hugo, Robert  Richardson

A Árvore da Vida, Emmanuel Lubezki

War  Horse, Janusz Kaminski

.

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE 

The Artist

Harry  Potter e as Relíquias da Morte Parte 2  

Hugo  

A Árvore da Vida  

War Horse

.

MELHOR MONTAGEM

The Artist

Drive

The Girl  With the Dragon Tattoo

Hugo

War Horse

.

MELHOR FIGURINO 

The Artist

The Help  

Hugo

Jane Eyre

My Week With Marilyn

.

MELHOR MAQUIAGEM 

Albert Nobbs

Harry  Potter e as Relíquias da Morte Parte 2

The Iron Lady

J. Edgar

My Week With  Marilyn

.

MELHORES EFEITOS VISUAIS 

Harry  Potter e as Relíquias da Morte Parte 2

Hugo

Planeta dos Macacos: A Origem 

Super 8

A Árvore da Vida

.

MELHOR SOM 

Harry  Potter e as Relíquias da Morte Parte 2

Hugo

Super 8

A Árvore da Vida 

War Horse

.

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO 

The Adventures of Tintin  

Operação Natal 

Kung Fu Panda 2

Gato de Botas 

Rango

.

MELHOR FILME DE AÇÃO 

Drive

Velozes e Furiosos 5  

Hanna

Planeta dos Macacos: A Origem 

Super 8

.

MELHOR COMÉDIA 

Missão: Madrinha de Casamento 

Amor à Toda Prova  

Quero Matar Meu Chefe 

Meia-Noite em Paris 

Os Muppets

.

MELHOR FILME ESTRANGEIRO 

In Darkness

Le Havre

A Separation

A Pele Que eu Habito

Where Do We Go Now

.

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Buck

Cave of Forgotten Dreams

George  Harrison: Living in the Material World

Page One: Inside the New York Times

Project Nim

Undefeated

.

MELHOR CANÇÃO

“Hello Hello,” performed by Elton John and  Lady Gaga/written by Elton John and Bernie Taupin; Gnomeo &  Juliet

“Life’s a Happy Song,” performed by Jason Segel, Amy Adams and Walter/written by Bret  McKenzie; Os Muppets

“The Living Proof,” performed by Mary J.  Blige/written by Mary J. Blige, Thomas Newman and Harvey Mason, Jr.; The  Help

“Man or Muppet,” performed by Jason Segel and Walter/written by  Bret McKenzie; Os Muppets

“Pictures in My Head,” performed by  Kermit and the Muppets/written by Jeannie Lurie, Aris Archontis and Chen Neeman; Os Muppets

.

MELHOR TRILHA SONORA 

The Artist, Ludovic Bource

Drive, Cliff Martinez

The Girl With the Dragon Tattoo, Trent Reznor & Atticus  Ross

Hugo, Howard Shore

War Horse, John Williams

Read Full Post »

Older Posts »